Os eletrodomésticos oferecidos ao mercado brasileiro devem ser avaliados pelo Inmetro, trazendo a etiqueta que demonstra esse registro e também a informação referente ao consumo de energia elétrica, parte do Programa Brasileiro de Etiquetagem (PBE). Os aparelhos de ar-condicionado fazem parte deste programa, porém foi observado que a forma como os produtos eram testados, não se assemelhavam ao uso real, e os resultados apresentados nos testes de classificação elegiam produtos como classificação A que não eram necessariamente econômicos.

No último mês, o Inmetro publicou a Portaria nº 234, de 29 de junho de 2020, com definições para o aperfeiçoamento do PBE para aparelhos de ar-condicionado. Resumidamente, foi elaborada uma nova metodologia de teste de eficiência energética com o objetivo de demonstrar ao consumidor claramente a diferença de consumo entre produtos com tecnologias diferentes como é o caso do ar-condicionado inverter.

A seguir, entenda melhor esta mudança e saiba como ela dará mais apoio a quem precisa escolher ar-condicionado.

Mudanças no PBE em ar-condicionado

Como citado, os aparelhos eletrodomésticos devem ser avaliados pelo Inmetro e apresentar a etiqueta correta, no caso a ENCE (Etiqueta Nacional de Consumo de Energia). Você provavelmente conhece estas etiquetas como consumidor, sabendo que uma classificação ‘A’ é mais econômica, enquanto a ‘F’ representa um maior consumo de eletricidade.

Segundo o Inmetro, os aparelhos de tipo inverter e não-inverter eram testados apenas em plena carga, o que raramente ocorre durante o uso real. Assim, quando o consumidor final observava a ENCE, não estava claro qual produto era o mais econômico.

A Portaria nº 234/2020 traz um aperfeiçoamento nestes testes, em que os aparelhos inverter serão submetidos não somente à plena carga, mas também ao método de carga parcial, o que deixará mais evidente o ganho de eficiência energética com a utilização dessa tecnologia.

Outra mudança é que o cálculo agora será feito, considerando o clima brasileiro e a média de frequência de utilização do ar-condicionado para cada temperatura.

Nova classificação Inmetro para ar-condicionado

Com este ajuste, as informações apresentadas na etiqueta do aparelho também seguirão um novo método de classificação, também mais rigoroso. A nova classe ‘A’ deverá apresentar eficiência 5,5 W/W, contra os 3,23 aceitos anteriormente. Fabricantes terão até dezembro de 2022 para realizar ajustes, mas já é possível usar a nova etiqueta desde a publicação da portaria. Até esta data limite, o consumidor encontrará os dois modelos de etiqueta no mercado.

Imagem original do Inmetro

Posicionamento Daikin Brasil

Estamos nos preparando para adequar nossos produtos ao novo padrão de etiquetagem Inmetro. De fato, nossos aparelhos de ar-condicionado nas linhas residenciais e comerciais já utilizam a tecnologia de compressores inverter, trazendo mais eficiência energética. Nas linhas Daikin, os aparelhos inverter podem representar até 70% de economia no consumo de eletricidade. Aproveite e conheça mais sobre a  tecnologia inverter aplicada pela Daikin, e confira ainda a nossa linha de aparelhos residenciais para garantir a economia o ano todo!