A sustentabilidade é um conceito que permeia todas as nossas ações atualmente, considerando todas as atividades e necessidades humanas, seus impactos no ambiente e as formas de reduzi-los. Assim chegamos ao conceito de arquitetura sustentável

Trabalhar a sustentabilidade na arquitetura já é possível graças aos avanços tecnológicos, às práticas de redução e reutilização de recursos, às fontes alternativas de energia elétrica e outros tantos elementos para o desenvolvimento de projetos e a construção de edifícios para diversos objetivos. 

Como arquiteto ou também como curiosidade, é importante conhecer práticas disponíveis no mercado para construção sustentável e preservação do ambiente e recursos naturais. Veja algumas delas agora:

Reutilização de materiais

Prática muito importante e facilmente aplicável. A ideia de reutilização aqui é aplicada de forma a poupar materiais e também evitar o desperdício, sejam os recursos naturais como água, madeiras, terra e rochas, ou produtos próprios da construção, como azulejos, cerâmicas, tijolos, armações, concreto, estruturas metálicas, etc.

Até os materiais de maquetes devem ser incluídos aqui. Móveis e aparelhos eletrodomésticos, em casos de renovações ou mudanças, também podem ser reutilizados, por vezes passando por uma breve manutenção ou customização. Além de sustentável com o planeta, a reutilização e reciclagem de materiais é uma forma de economia também no orçamento.

Soluções tecnológicas

Uma prática muito interessante por estar em constante desenvolvimento e atualização. A arquitetura sustentável encontra nas soluções tecnológicas mais recursos para economia de energia e outros elementos. Um exemplo muito simples é a instalação de painéis para aquecimento e também geração de eletricidade através dos raios solares.

Dentro do projeto, eletrodomésticos como geladeiras, ar-condicionado e máquinas de lavar roupas e louça já são fabricados com parâmetros para economia de eletricidade e água. Os dois primeiros, por contarem com a presença de gases refrigerantes, merecem mais atenção quanto à manutenção, troca e descarte correto destes elementos químicos. Vale comentar que os equipamentos de ar-condicionado mais avançados utilizam gases refrigerantes sustentáveis e que não afetam a camada de ozônio, mas ainda assim é importante fazermos o descarte correto.

O projeto de iluminação deve contar com lâmpadas mais duradouras, temporizadores e também dimmers para promover um ambiente iluminado, adequado e ainda assim sustentável e econômico a longo prazo.

Telhado verde

Uma prática voltada para casas, prédios e edifícios comerciais. O telhado verde é um projeto a parte, feito de forma a cobrir toda a laje da construção com plantas e vegetação. É necessário fazer as devidas adaptações para evitar infiltrações, além de incluir um sistema de irrigação para os tempos secos. O telhado verde, também disponível no formato de jardim vertical, cobrindo paredes, ajuda a diminuir a temperatura interna da construção nos períodos mais quentes.

Tem também um apelo estético, podendo ser incluído no projeto de paisagismo.

Conforto ambiental

Prática que se refere ao conforto térmico, ou seja, ao equilíbrio de temperaturas no ambiente interno da construção. Para isso, o projeto contempla a os pontos de ventilação e a instalação de aparelhos de ar-condicionado. Mais uma vez, são utilizados os aparelhos e fontes mais novos, evitando desperdício e gastos prejudiciais. 

O conforto ambiental é obtido com a soma de tecnologias, opções sustentáveis e um projeto arquitetônico atento, fazendo a observação e medições corretas sobre os ambientes, as áreas de convivência e fatores como o clima geral da região.

Agora que você conhece a arquitetura sustentável e algumas de suas práticas, leia mais sobre a climatização de ambientes.