dúvidas sobre o fluido refrigerante

O fluido refrigerante ou fluido frigorífico, popularmente chamado de gás, é um componente fundamental do processo de resfriamento e aquecimento dentro de um ciclo de refrigeração por compressão de vapor, que é o tipo de ciclo empregado em processos de refrigeração e ar condicionado.

Para falar tudo sobre fluidos refrigerantes em apenas um artigo, seriam necessárias muitas páginas, assim, vamos esclarecer aqui as 5 dúvidas mais comuns:

1. O que é um fluido refrigerante?

De uma forma bem simples: Fluido refrigerante é o fluido que absorve calor de uma substância (o ar por exemplo) do ambiente a ser resfriado.

O fluido refrigerante mais antigo do planeta é a água e seu código é R-718, mas poderíamos definir também como sendo um componente fundamental do circuito frigorífico. Ele é o responsável pelo transporte da energia que sempre envolve mudança de fase. Em um Split, o calor “absorvido” pelo fluido refrigerante no evaporador (calor proveniente do ar do ambiente a ser climatizado) será “rejeitado” no condensador (rejeitado para o ar exterior ou outro meio). Em outras palavras, o fluido refrigerante absorve calor em níveis baixos de temperatura e pressão (evaporador) e transfere esta energia (calor) em temperaturas e pressões maiores (condensador), sempre envolvendo mudança de estado.

2. Quais são os tipos de fluidos refrigerantes utilizados em ar condicionado?

Basicamente são 3: Os CFC, os HCFC’s e os HFC’s.

Os CFC cuja sigla significa “Cloro Flúor Carbono” são aqueles em que a indústria brasileira e mundial tende a minimizar a produção, justamente porque são agressivos à camada de ozônio (vide legislação específica). Em alguns países foram banidos desde 1990. Exemplo de CFC’s: R11, R12, R115.

Já os outros 2 foram criados com a intenção de substituir os fluidos CFC. O HCFC tem alguns átomos de cloro substituídos por hidrogênio (H), exemplo: R-22. Os HFC têm todos os átomos de cloro substituídos por hidrogênio, como exemplo: R-410A que tem propriedades atraentes e uma eficiência energética bem maior que o R-22. O único inconveniente é que o R-410A trabalha a uma pressão de 60% maior que o R-22, e isso leva à necessidade de reprojetar todo o sistema, compressores, válvulas, até mesmo a tubulação frigorífica dependendo do diâmetro e da idade da instalação.

3. O que é um fluido refrigerante ecológico?

Quanto menos um fluido refrigerante agride a camada de ozônio mais ecológico ele o é. O R-32, por exemplo, é um fluido refrigerante HFC puro, e assim é utilizado em condicionadores pequenos, também é usado como componente em misturas de HFC.

O R-32 fornece um valor baixo de potencial de aquecimento global (G.W.P.) e nenhum potencial de deterioração da camada de ozônio (O.D.P.). O R-32 é ligeiramente inflamável.

4. Como posso descartar um fluido refrigerante CFC

Havendo necessidade de descartar uma carga de fluido refrigerante CFC ou HCFC todo cuidado é pouco!

Suponha que haja necessidade de descartar uma carga de R-22 (HCFC) de um determinado equipamento, qual a melhor forma de fazer isso? Soltar para a atmosfera? Muito cuidado, a liberação de fluido refrigerante diretamente na atmosfera, além de incorrer em crime ambiental, significa desperdiçar dinheiro, sim, pois o fluido velho poderá ser reciclado e reaproveitado em situações especiais.

O correto é descartar esta carga de R-22 para cilindros especiais e adequados. Em seguida a carga de refrigerante R-22 deve seguir para a reciclagem, lembrando que tanto a empresa que recolhe como a que recicla devem possuir equipamentos adequados para a finalidade, e ambas devem ser cadastradas no IBAMA.

No mercado existem recolhedoras e cilindros próprios para o descarte e o transporte, sem falar que existem empresas recicladoras que cedem os cilindros gratuitamente para serem enchidos.

Como se vê, não se trata de um “bicho de 7 cabeças”, o que não admissível é o descarte de qualquer fluido refrigerante diretamente na atmosfera.

5. O que é o Programa Brasileiro de Eliminação de HCFC’s (PBH)?

É um programa brasileiro que visa diagnosticar o consumo de HCFC’s nos setores que utilizam esses produtos e implantar medidas para eliminar o consumo até 2040. O programa foi gerado a partir de Partes do Protocolo de Montreal de 2007, onde países em desenvolvimento como o nosso, definiram prazos para a eliminação dos HCFC’s. Quem quiser saber mais, clique aqui.